Dirty way to the glory !

31 01 2008

Realizada no ultimo Domingo, a Crocante Cup Brasil abriu o calendário 2008 de competições e a equipe Pedal Urbano esteve presente no evento, participando em diferentes categorias.

O Domingo de prova teve inicio com um clima chuvoso, uma fina garoa caia sobre os atletas durante a montagem da barraca na área de apoio. Demos continuidade aos preparos para a largada da prova, que prometia muita lama durante todo o percurso.
Nossa equipe estava largando com seis bikers agrupados em duplas e mais três correndo nas categorias solo.

O circuito não podia ser melhor para uma prova de longa duração, exigindo um relativamente baixo esforço físico, permitia que os atletas competindo em duplas colocassem um ritmo forte e já os da categoria solo fizessem uma prova com um maior numero de voltas. Porém não foi exatamente isso que acabou acontecendo no decorrer da prova, o circuito que já estava com lama no momento da largada, começou a ficar quase que intransitável em certos pontos após as pancadas de chuva que o atingiram durante as cinco horas do evento.
Muitos problemas técnicos causados pelo acumulo de barro nas bikes foram presentes durante toda a corrida, colocando em teste não só o preparo físico dos atletas, mas também o “preparo técnico” das bicicletas, o apoio mecânico foi fundamental para o termino da prova, principalmente para os atletas que participaram na categoria solo.

Nossa equipe sofreu alguns problemas durante a prova. Abandono de uma das duplas por problemas mecânicos e queda de alguns atletas, mas felizmente nada muito sério.
Tivemos um resultado final muito satisfatório, entre todos os que completaram a prova somente um atleta não subiu ao pódio. Foram quatro “subidas ao pódio” entre os atletas da Equipe Pedal Urbano, dando destaque ao biker Fernandão que mesmo fazendo sua estréia nas provas de MTB na lama (ele é praticante de Speed) conseguiu um ótimo 4º lugar em sua categoria. Algumas fotos da corrida podem ser vistas no menu ao lado, clicando sobre as minuaturas.





Acaba um, começa outro…

28 12 2007

Bem, estamos a dias do final de mais um ano, pedalamos muito, treinamos pacas, corremos bastante e até começamos a construção de um circuito que vai ter continuidade em 2008.

“Todo fim é um novo começo” e por causa desse pensamento manjado, decidimos fazer um post dando dicas para as pessoas que estão começando a pegar trilhas de mountain bike.

O QUE VOCÊ PRECISA PARA COMEÇAR NO MTB?

Bem, primeiro de tudo você precisa de uma BICICLETA:

9183-30_l.jpg

Preferencialmente do tipo MOUNTAIN BIKE, afinal você não quer pegar uma bike de passeio ,que vai te dar mais dor de cabeça do que felicidades, nas trilhas. Existem diversos modelos, com suspensão dianteira, traseira, freios a disco, quadros de carbono. Meu pai ja dizia: Quem começa de cima, com certeza vai cair porque não tem um alicerce bom. Ou seja, faça favor de começar com uma bike legal, mas nada de torrar 5 – 6 mil reais de primeira. Uma bike com freios do tipo V-Brake, quadro de Aluminio e uma suspensão dianteira ja está excelente. Quanto a quantidade de marchas, existem 3 tipos que são mais usados atualmente, 21v, 24v e 27v. As bikes mais legais vem com 27v e não é tão caro pegar uma dessa, mas se a grana estiver curta a 24v é a melhor opção.Capacete

6084-161_l.jpg

Ai você deve pensar: “Mas eu vou ficar ridiculo com capacete” realmente, não é a coisa mais bonita do mundo, mas com o tempo você acostuma e dependendo do seu grau de afinidade com o esporte você vai até achar legal e não vai achar ridiculo quando você parar a bike em algum lugar para comprar alguma coisa rapida e ficar andando dentro do estabelecimento com capacete. Ou seja, você vai estar ridiculo, mas pedalar nos torna pessoas mais abertas e mais sociaveis, você nem vai ligar que vai estar ridiculo. Mas o principal, é que se você cair e se der com a cabeça em qualquer coisa mais dura que ela, você não vai arrebentar a mesma e você é PREGO lembra? Acabou de começar, você vai cair, todo mundo cai, até quem ja pedala a anos ainda cai.

Luva

luva.jpg

Bem, como tudo no ciclismo existem das mais diversas cores e modelos, mas basicamente são divididas em com e sem dedo, as sem dedo dão para pedaladas mais longas e debaixo de sol forte, ja as outras são melhores no caso de chuva e lama e em pedalas menores, que passem por locais mais fechados. Mas luva é gosto também, eu particularmente prefiro as com dedo porque me dão mais firmeza na hora da troca de marchas e frenagem. Lembre-se luvas além de auxiliar na pilotagem e na pegada da bike são importantissimas no caso de quedas.

Oculos

oculos.jpg

Na minha opinião, depois do capacete, o oculos é o item de segurança mais importante, primeiro porque ele protege o seus olhos do sol, chuva, lama, pedras e outras coisas que as vezes são arremessadas contra eles. Segundo porque sem enxergar não há quem consiga descer e só quem ja ficou sem poder enxergar em uma descida sabe como é a sensação. Primeiro parece que você ta voando, depois você só sente o ralado 😀

Sapatilha

sapatilha.jpg

Uiiii que fofa, vai usar sapatilha!!!! É sapatilha mesmo, na verdade traduziram assim pro Brasil, porque lá fora todo mundo chama de sapato. Muitos acham que é um acessório apenas para profissionais ou pessoas que pedalam sério, mas na minha opinião é um item necessario para qualquer pessoa que queira ter uma experiencia prazerosa em cima da bicicleta, primeiro porque aumenta muito mais a confiança em cima da bike devido ao aumento de controle, segundo que no caso de quedas a sapatilha acondiciona o pé protegendo o mesmo de pancadas e lesões, tanto pelas proteções para o bico do pé, quanto no calcanhar e principalmente na sola, os tenis tem solados mole demais e podem escorregar dos pedais. A sapatilha por sua vez tem o encaixe para o taquinho, peça que trava no pedal de clip para auxiliar o ciclista a ter uma pedalada mais redonda, aumentando o rendimento, diminuindo o cansaço, auxiliando a pedalar com o pé na posição correta.E aquele medo de ficar preso na bike passa rapidinho. Qualquer pessoa que treine um pouco acaba percebendo que “desclipar” vira um movimento involuntario nas mais diversas situações.

Vestuário.
Existem muitos modelos para se usar, desde uniformes das equipes de ciclismos, até roupas mais casuais e até roupas de frio/chuva. O importante da roupa é estar confortavel e proporcionar condições seguras de pilotagem, não podem ser muito folgadas porque podem enroscar em galhos ou arbustos, mas também não podem ser muito coladas, esquentando demais, quem está acostumado não troca a bermuda de lycra e a camiseta de ciclismo mesmo. Os bolsos traseiros ajudam a carregar alguma coisa extra, por sua vez a bermuda de lycra ajuda a não enroscar em nada e o acolchoado embaixo ajuda a aguentar o selim por horas e horas.

Algumas dicas para pedalar:

Antes: Sempre esteja acostumado a se hidratar, beba bastante água todos os dias, não adianta tomar 6 litros de água um dia antes de pedalar, se você está acostumado a tomar água direto, no dia do pedal você vai estar bem hidratado e vai render muito mais. Nos dias anteriores combine com a galera o local de encontro e os horarios previstos, não é nem um pouco legal ter que parar o pedal no meio porque alguem tem que voltar para almoçar, combine também o percurso que vai ser pedalado. Na noite anterior coma bem, de preferencia massas e durma cedo, não é legal chegar atrasado, particularmente isso é uma das coisas que mais me irrita em dias de pedal, ainda mais porque raramente me atraso. Se marcaram 7:30, tente chegar as 7:20, com certeza você vai chegar 7:30. Deixe todo o equipamento separado, capacete, luvas, sapatilha, meias, roupa pra volta, TOALHA (muito importante), papel higiênico (mais importante ainda!!!), protetor solar e prepare suas bebidas. As mais em conta é a maltodextrina, é basicamente carboidrato que pode ser usado em percursos longos ou curtos, você mistura na água, existem vários sabores e até sem sabor. O Brasileiro não tem essa cultura, mas deveria ter, porque além de beber água ser muito importante, os carboidratos são necessarios durante a pedalada, como outros nutrientes que são encontrados em géis, barras e outros repositores.
Para quem gosta de carregar géis, mas não gosta daquela historia de ficar abrindo gel no meio do pedal vai essa dica:

gelbot2_165.jpg

A garrafa Gelbot da GU2O, a marca possui géis de vários sabores, o seu proprio repositor em pó. Essa garrafa tem um sistema muito legal, nesse embolo central você coloca o gel, cabem 2 unidades e meia, e na garrafa coloca água mesmo ou maltodextrina, quando quiser o gel é só puxar pelo bico sem abrir a garrafa que o gel sai com facilidade, quando quiser água é só abrir o bico e tomar água.

É muito importante também levar ferramentas, camaras de ar, bombas de CO2, bomba de mão manual e remendos. Remendos são super leves, pequenos e muitas vezes salvam o pedal da galera.

Um detalhe importante durante seus passeios é sempre estar previnido, não só no que diz respeito a bike em si, mas também com você mesmo.  Levar dinheiro para emergencia, um telefone celular ou algum comunicador pode te tirar de um bom problema.

E lembre-se JAMIS pedala em local desconhecido sozinho!! E caso for conhecido, deixe sempre alguem avisado sobre onde você está e a que horas pretente voltar.





Doping?

23 12 2007

Vendo o blog do Zaka, o Maglia Rosa me deparei com um post sobre o doping no golf.

Quero deixar claro que estou totalmente de acordo com o Zaka quando ele fala sobre os outros esportes mais “populares” como o futebol. Um monte de amigos meus ja fez a piadinha que “ciclista é tudo dopado”. Inocente são eles que acham que os jogadores de futebol não tomam nada.

Sem duvida no ciclismo muitos, senão 100% do pelotão da elite mundial usa alguma coisa para andar o que eles andam, mas as pessoas falam como se fosse muito facil, esquecem que aquilo é a vida deles e que se não fizerem, são eliminados das equipes justamente por não acompanharem o ritmo dos outros atletas que USAM algo. Os patrocinadores que mandam na coisa, ou seja o DINHEIRO, mas não adianta falar muito, afinal só quando poluirem o ultimo rio, matarem o ultimo animal e queimarem a ultima floresta vão perceber que não da pra comer dinheiro.

Então antes de falar dos outros, olhe para si mesmo e pense no que você faz da sua vida, você é 100% perfeito? Não erra? Não faz coisas ilicitas para poder se dar bem e sobreviver as circunstancias que somos postos diariamente?

Pra isso, eu respondo com esse video, que sem duvida, é uma propaganda da Nike escrita e dirigida por um otimo marketeiro, mas é a fala do Lance é a mais pura verdade.

Para quem não manja de inglês, uma rapida tradução:

“Esse é o meu corpo e eu posso fazer o que quiser com ele.
Posso forçar, estudar e ver os limites dele.
Todo mundo pergunta no que eu estou metido.
No que estou metido? Estou na minha bike, RALANDO PACAS 6 horas por dia. No que você está metido?”

E pra não falar que não tem singletrack:

GUN





Treino Duplo – Speed + MTB

19 12 2007

Fala galera,

Esse ultimo fim de semana fizemos um treino/passeio muito bom! Um pedal não muito comum devido ao seu formato que uniu speed com MTB e totalizou quase 70km.

gerna.jpg

O pedal teve inicio ainda em São Paulo, quando o grupo se reuniu na Pedal Urbano para seguir rumo a Santo Antonio do Pinhal (região de Campos do Jordão), de onde começaria o treino mesmo.

As bikes (mais de 20) foram sendo acomodadas no ônibus da Gerna para seguirmos com tranqüilidade até nosso destino, o clima descontraído entre amigos faz a viagem ser bem tranqüila.

chegada.jpg bikes.jpg

A chegada em Santo Antonio do Pinhal deu inicio ao que seria de fato o nosso treino, seguir pela SP050 até Campos do Jordão, pedalando um total de 39km, sendo 14 deles somente de subida!

marcelao.jpg

O ritmo forte fez com que o pelotão fosse quebrado em alguns grupos, para seguir cada um no seu ritmo rumo ao topo da serra. Eu (Ivan) acabei pedalando somente 27 dos 39km totais devido a uma dor na perna esquerda, que após uma consulta ao médico foi considerada um lesão muscular leve de origem desconhecida, mas foi o bastante para aproveitar bem essa primeira parte do nosso treino.

portal.jpg

A bandeirada do desafio morro acima foi dada no portal da cidade Campos do Jordão, que foi o ponto de encontro e transição do speed para o MTB.

Do portal o grupo seguiu rumo ao Zig-Zag, um singletrack que faz o caminho de volta a Santo Antonio do Pinhal, cortando áreas de mata fechada e a encosta de parte da serra de Campos, uma trilha muito boa para aprimorar as técnicas de descida e o reflexo em cima da bike.

Essa foi sem dúvida a melhor parte de todo o treino, risadas e muitos tombos fizeram parte dos mais de 30 minutos de descida.

zig.jpg

Por se tratar de uma trilha muito técnica, aqueles que não são muito fãs de descidas tiveram alguns problemas durante o percurso, as quedas foram inevitáveis (e constantes), mas não gerou nenhum ferimento grave. O fim de trilha estava bastante enlameado e com algumas poças de barro bem grande que fizeram a diversão da galera, quase ninguém escapou dos “banhos de lama” acidentais ou não.

Após mais um parada para reunir todo o grupo novamente, seguimos fazendo um deslocamento através do arredores e do centro da cidade de Santo Antonio do Pinhal, rumo a nossa ultima trilha do dia, conhecida como Santa.

Todos reunidos na estação que trem que liga Santo Antonio do Pinhal a Campos do Jordão, demos início à parte final do treino, que terminaria no posto da Policia Rodoviária Estadual no pé da serra.

O grupo seguiu dividido em dois, alguns preferiram descer pela estrada de asfalto e outros seguiram pela trilha, que tem inicio na própria estação de trem.

A Santa faz parte do conhecido Caminho da Fé e foi uma das trilhas mais técnicas que já pedalei! A quantidade de pedras no meio da trilha é absurda e tem pontos que chega a ser impossível de ficar em cima da bike, a menos que você tenha uma excelente técnica e um total controle da bike. Somente o final da trilha tem uma parte mais tranqüila onde fica bem mais fácil andar.

Veja a altimetria total do treino:

altimetria.jpg

Clique para apliar.

Bom basicamente é esse o relato do nosso pedal de Domingo, foi muito bom e um ótimo treino tanto para a técnica quanto pra força.

Queria agradecer a todos que estiveram presentes e em especial ao Fred, Caçapava (ambos usuários do fórum do DHBrasil.com.br), ao Gerson que fez nosso apoio e logística durante todo o pedal, ao pessoal do posto da Policia Rodoviária Estadual que nos cedeu uma mangueira para um “meio banho” no fim e a Pedal Urbano que foi responsável por toda a organização do treino.

Veja mais fotos no link: aqui ou clique nas fotos no menu ao lado.

Video gravado pelo Guto no final da pedalada, quando já voltavamos pro ônibus.

 

Um abraço e bom pedal a todos!





Crocante Cup

14 12 2007

Crocant Cup

Fazendo a abertura da temporada 2008, a Crocante Cup será nossa próxima parada nas pistas
Hoje foram divulgadas mais algumas informações a respeito da prova, como a altimetria.
Clique e veja a altimetria

Eu (Ivan) já estou confirmado na categoria Solo e o Gustavo está planejando correr em duplas, mas não tem nada confirmado ainda.Para saber mais sobre a prova visite:
Crocante Cup

Gustavo: Falei com o Igor, vamos correr dupla, outra dupla da loja vai ser o Rick e o Ricardo Lino que é treinador, triatleta e ex-praticante de motocross. Vai ser uma prova interessante.

Segue video de um dos DROPS da Crocante Cup de 2006 no Parque Wet’n Wild.

e um video do mesmo drop, mas logo após a largada.

Boa prova para todos.





Porque UmaArvoreNoMeioDoSingletrack?

12 12 2007

dsc_1123.jpg
Seria essa a Árvore no meio do singletrack?

Explicar o porque desse nome não é muito facil, mas garanto que vai ser facil entender.

Para quem não conhece, singletrack é uma trilha onde normalmente só cabe uma bike, mato fechado, raizes e pedras estão sempre presentes, apesar do seu tamanho restrito “eles” são muito encontrados em circuitos onde acontecem as etapas da Copa do Mundo de Mountain Bike e do Mundial de Mountain Bike.

(Clique aqui para ver o video da etapa da Copa do Mundo de XCO, no belissimo circuito de Offenburg e seus maravilhosos single-tracks)

Apesar da dificuldade que as pedras e raizes oferecem em um single-track, as árvores são quem realmente os definem. Tentar passar pelas arvores como se passa pelas pedras ou raizes pode gerar conseguencias engraçadas e as vezes perigosas…

dsc_0375.jpg

dsc_0383.jpg
Repare no guidão ao contrario e a arvore salvou nosso piloto.

Cada curva, mudança de rumo, abaixada de cabeça, cotovelo e drop, estão sempre cercados de árvores e muitas vezes, quando essas caem, acabam por criar novas vias e desvios em circuito que antes eram decorados e por causa de uma árvore caída tudo muda de rumo.

No caso do nosso blog, todos esses fatores foram predominantes para a escolha do nome, mas acima de tudo, foram as verdadeiras ÁRVORES NO MEIO DO SINGLE-TRACK que existem nos 2 circuitos que costumamos treinar técnica, a Menina Má e a Mata da Câmara, que pode ser vista no video abaixo, mas que ainda vai ter seu proprio post aqui no blog.





Projeto “Menina Má”

12 12 2007

Olá a todos,

 

Vou fazer a apresentação de mais um dos nossos projetos, dessa vez algo muito maior, que envolveu (e ainda envolve) muito trabalho e negociação.

 

A idéia surgiu na busca de um lugar tranqüilo e seguro para realizarmos nossos treinos, o projeto inicial seria a reforma do circuito localizado no Condomínio Champz Privé (o mesmo utilizado na etapa final do Campeonato Interestadual de MTB de 2005) em Campo Limpo Paulista, após cerca de um ano e meio de tentativas de negociações com a diretoria do local e sem qualquer demonstração de interesse por parte deles, resolvemos a principio deixarmos a idéia de lado. Foi após essa desistência que eu (Ivan) comecei uma negociação de um novo local para abrigar nosso “centro de treinamento” e o resultado foi totalmente contrário à primeira tentativa. Conseguimos não só a liberação do local, como total apoio da diretoria, que nos forneceu até mesmo alojamento de graça no local.

Tínhamos somente um problema em meio a isso tudo, no local havia apenas uma mata e praticamente nada de trilhas, nossa “missão” (que ainda não foi totalmente concluída) era construir, a partir de nada, um circuito de XCO. Contando com o apoio de outros bikers, demos inicio nos trabalhos no local.

Hoje temos um circuito, com 95% de sua totalidade sendo single tracks, que cresce a cada dia. Uma trilha totalmente técnica, que serve não só de circuito para treinos, mas também de desafio pessoal a cada um que anda por lá, devido ao seu formato, digamos, “pouco comum” para uma pista de XCO. Formato também que deu nome ao projeto, já que a Menina (trilha) é muito difcil (Má).

O circuito deverá estar totalmente concluído no inicio do ano que vem, onde iremos terminar a terceira fase de expansão e quem sabe já não aproveitamos para darmos inicio na quarta fase.

 

Gostaria de agradecer a todos que ajudaram na construção do circuito e ao Acampamento Betel, por ter cedido o espaço onde se localiza o circuito.

Só mais uma curiosidade a respeito, é desse projeto que surge o nome desse blog: “Uma Árvore no Meio do Single Track”, que logo mais iremos explicar o porque.

Algumas fotos do local:

ConstruçãoConstrução

AmigosTest ride

Test rideTest ride